Saint Patrick’s Day – March 17th

Dia de São Patrício – Saint Patrick’s Day

 

March 17th – Ireland

Dia 17 de março é um dia muito importante na Irlanda – celebra-se o seu santo padroeiro. Os irlandeses e seus descendentes nos EUA e em vários países do mundo comemoram o St. Patrick’s Day – Dia de São Patrício, conhecido por ter trazido a religião católica para a Irlanda. Símbolos comumente associados a essa data são: Duendes, pote de ouro, a cor verde e o trevo.

Há mais de mil anos os irlandeses consideram o dia 17 de março, suposta data da morte de St. Patrick, um dia de festa religiosa, que cai no período cristão da Quaresma (Lent), quando as famílias irlandesas costumam ir à igreja pela manhã e comemorar durante a tarde. O Saint Patrick’s Day, coloquialmente St. Paddy’s Day, ou simplesmente Paddy’s Day é feriado nacional na Irlanda e também um na ilha de Montserrat. No Canadá, Reino Unido, Austrália, Estados Unidos, Argentina e Nova Zelândia, a data é amplamente celebrada, mas não se trata de um feriado oficial.

St. Patrick’s Day é comemorado pelo irlandês em cidades grandes e pequenas, como se fosse o nosso carnaval – podendo ser comparado aos “desfiles de carnaval de rua”. Algumas comunidades chegam a tingir rios ou córregos de verde! As pessoas vestem-se de verde, pintam trevos no rosto e assistem às St. Patrick’s Day parades (desfiles). Entre as crianças, há a tradição de beliscar os amigos que não vestem verde neste dia.

 

Atualmente, St. Patrick’s Day é comemorado por gente de todas as origens nos Estados Unidos, Canadá e Austrália. Embora a América do Norte abrigue as maiores produções, O Dia de São Patrício é também celebrado em outros locais distantes da Irlanda, incluindo o Japão, Singapura, Rússia, Argentina e algumas cidades do Brasil. Em toda parte, as pessoas dançam, cantam e bebem “green beer” (cerveja verde) nos Irish Pubs, just having a good time and enjoying themselves!

Quem foi São Patrício?

St. Patrick nasceu na Grã-Bretanha, filho de pais endinheirados, mais ou menos no final do século IV. Acredita-se que tenha morrido no dia 17 de março de 461 – daí então, a data da celebração. Até os 16 anos, ele se considerava um pagão. Nessa idade, foi sequestrado e vendido como escravo por saqueadores irlandeses. Foi durante sua captura que ele começou a se voltar para Deus.

Ele conseguiu escapar após ter sido escravizado durante 6 anos e, então, foi estudar em um mosteiro em Gauls (na região da atual França), por 12 anos. Foi quando ele soube que sua “vocação” (calling) era tentar converter todos os pagãos na Irlanda para o Cristianismo.

Sendo assim, St. Patrick foi de mosteiro em mosteiro, obtendo sucesso em converter as pessoas para o Catolicismo. Os Druidas Celtas (Celtic Druids) ficaram muito insatisfeitos com ele e tentaram prendê-lo por diversas vezes, mas ele sempre conseguiu escapar.

Originalmente, a cor associada a São Patrício era azul.

Depois de 30 anos como missionário na Irlanda, estabeleceu-se num lugar chamado County Down

 

até a sua morte. A valorização atribuída à imagem deste homem não está nos detalhes históricos, mas na inspiração de um homem que conseguiu retornar ao país de origem depois de ser escravo quando criança, com o intuito de transmitir a mensagem de Cristo.

 Fatos reais

– St. Patrick realmente existiu;

– Foi levado para a Irlanda como escravo aos 16 anos;

– Escapou depois de 6 anos escravizado;

– Tornou-se sacerdote cristão, e, mais tarde, bispo;

– Retornou à Irlanda como missionário;

– Desempenhou importante papel na conversão de Irlandeses ao Cristianismo;

– Alguns de seus escritos sobreviveram, como Confessio, a Epistola ad Caroticum.

Fatos não comprovados

 

– Nasceu em 387 na Escócia, em Kilpatrick. Fontes alternativas sugerem que ele tenha nascido em Banwen, no País de Gales.

– Seu nome original era Maewyn Succat, tornando-se Patrick ao virar bispo;

– Estudou na França, no Monastério de St Martin’s in Tours;

– Foi para a Irlanda em 432;

– Faleceu ou em 461 ou em 493 (menos provável);

– Foi aluno de Saint Germaine.

PRINCIPAIS SÍMBOLOS: 

Shamrock (Trevo)

Existem muitas histórias ou fatos sobre este símbolo. Alguns dizem que St. Patrick utilizava o trevo como metáfora para pregar a santíssima trindade (Holy Trinity – the Father, the Son and the Holy Ghost) aos pagãos celtas. Com isso, o uso de trevos de três folhas e similares estão intimamente ligados aos festejos. Também chamado de “seamroy” pelos Celtas, era uma planta sagrada na Irlanda Antiga, pois indicava o início da primavera. No século XVII, o Shamrock tornou-se símbolo do nacionalismo irlandês emergente, visto que, como os ingleses começaram a confiscar terras irlandesas e a criar leis contra o idioma irlandês e a prática do Catolicismo, muitos irlandeses começaram a usar o trevo como um símbolo do orgulho de suas origens e para demonstrar seu desgosto ao domínio inglês.

Leprechaun (Duende)

Provavelmente este símbolo tenha vindo do folclore celta, que era repleto de fadas, homenzinhos pequenos e mulheres que podiam usar seus poderes mágicos para servir a Deus ou ao diabo. O nome original desta criaturinha folclórica era “lobaircin”, que significa “camarada de corpo pequeno”. No folclore celta, leprechauns eram almas excêntricas, responsáveis por consertarem os sapatos de outras fadas.

Atualmente, é conhecido como um homem bem pequeno, de paletó e cartola verde e uma longa barba ruiva. É traiçoeiro e faz de tudo para proteger o seu tesouro, um pote de ouro que se esconde no fim do arco-íris. Entretanto, o duende nada tinha a ver com o dia religioso de St. Patrick. Em 1959, a Walt Disney Pictures lançou um filme, chamado em inglês Darby O’Gill & the Little People, que trazia a imagem de um duende simpático e alegre, bem diferente do homenzinho irritadiço do folclore irlandês, que foi logo assimilado à Irlanda em geral e ao dia de St. Patrick.

Celtic Cross (Cruz Celta)

Acredita-se que, com o intuito de converter celtas irlandeses em cristãos, São Patrício resolveu unir a cruz solar (forte símbolo Irlandês) com a cruz cristã. Ficou conhecida como Cruz Celta ou Cruz Céltica.

 Green (Verde)

A cor verde está na bandeira da Irlanda. Atualmente as pessoas usam verde no dia 17 de março como símbolo do país e para trazer sorte. Há um costume de pintar as crianças que não estão usando verde, de verde, claro!
Originalmente, a cor associada a São Patrício era azul. Com o passar dos anos a cor verde e sua ligação com o dia de São Patrício aumentou. Fitas verdes e trevos eram usados nas celebrações do dia de São Patrício no século XVII. Na rebelião irlandesa de 1798, na esperança de propagar seus ideais políticos, soldados irlandeses vestiram uniformes verdes no dia 17 de março na esperança de chamar a atenção pública à rebelião. A expressão irlandesa “the wearing of the green” (vestindo o verde), significa usar um trevo ou então outra peça de roupa na cor verde, em referência aos soldados rebeldes.

Rainbow (Arco-íris)

O que tem o arco-íris a ver com o St. Paddy’s Day? A lenda conta que o duende Leprechaun esconde o seu tesouro, o pote de ouro, no final do arco-íris. Já que nunca conseguimos encontrar o “fim” do arco-íris, também não se consegue encontrar o pote de ouro. Para conseguir encontrar o pote de ouro, primeiro é preciso achar o pequeno Leprechaun.

 Snake (Cobra)

Conta-se há bastante tempo que, durante sua missão na Irlanda, São Patrício certa vez subiu no cume de uma colina (hoje chamada de Croagh Patrick) e, lançando mão somente de um cajado de madeira, afugentou todas as cobras da Irlanda.
Na verdade, o país não tinha cobras naquela época. O episódio conhecido como “the banishing of the snakes” é na realidade uma metáfora para a erradicação da ideologia pagã da Irlanda e o triunfo do Cristianismo. Após cerca de 200 anos da chegada de Patrick, A Irlanda estava completamente Cristianizada.